Gestão de Processos e Efetiva do Negócio – Sergio Calura, CBPP

Em setembro de 2011 foi lançado pela ABPMP-BR, associação de profissionais de gestão de processos, o programa “Dobrando a Riqueza e Eliminando o Desperdício”. Uma clara declaração de que para aproveitarmos efetivamente o bom momento da economia brasileira e crescermos de forma sustentável, precisamos repensar nosso modelo produtivo, ou seja, é infundado pensar um Brasil de primeiro mundo utilizando ferramentas, modelos e métodos ineficientes.

Um exemplo claro disso é o setor da construção civil no Brasil, que nos últimos anos teve um crescimento acima de 10%, superando até mesmo a economia chinesa. Mas ao mesmo tempo é um dos setores que apresentam índices recordes de desperdícios, ineficiência e reclamações de seus clientes. Estima-se que 30% do material que entra na obra retornam em forma de entulho, ou seja, de cada 3 obras construídas uma é jogado fora, enquanto que países como Japão, China e EUA o desperdício não chega a 1%.

A construção civil é um dos maiores motores da economia e foi o principal setor que impulsionou o PIB nos últimos anos (15%) de acordo com dados do IBGE. A construção e a manutenção da infraestrutura do país consomem até 75% dos recursos naturais extraídos, sendo a cadeia produtiva maior consumidora destes recursos da economia.

O setor se defende que em função do rápido crescimento, faltam profissionais qualificados, fornecedores e materiais, mas é notória também a falta de investimentos em planejamento, melhorias dos processos e novas técnicas construtivas.

Grande parte das construtoras utiliza o modelo tradicional de construção que é caracterizado principalmente pelo planejamento inadequado, com pouco detalhamento e dificuldade na gestão efetiva dos serviços de obra. Problemas que poderiam ser detectados na elaboração do projeto são percebidos somente no momento da execução da obra. O reflexo imediato deste modelo são obras com longos ciclos produtivos, entregas com atraso, alto custo e baixa qualidade de seus produtos. Enquanto nosso ciclo construtivo demora até 36 meses para uma obra vertical de edifício, os chineses nos mostram em filme e disponível no youtube (http://www.youtube.com/watch?v=v9-ZA7V7O9I) como se levante uma edifício de 10 andares em apenas 6 dias e pronto para utilização.

Mas com tanto desperdício e problemas, como esse modelo construtivo se mantem? A resposta é simples, com o mercado tão aquecido, a rentabilidade é tão alta que o setor da construção civil no Brasil se dá ao luxo de financial tamanha perda. Atitudes como esta refletem um país que ainda não sabe lidar com crescimento de forma sustentável e com ganhos em longo prazo. O certo é que em algum momento, o mercado da construção civil irá se acomodar e empresas com processos obsoletos e incapazes terão grande dificuldade em se manter no mercado.

Sergio Calura, CBPP, Gestor do Projeto Gestão Integrada de Serviços de Obra.

About these ads

Comments on: "Desperdício na Construção Civil" (1)

  1. José Nunes de Rezende NEto said:

    Olá, sou aluno da UFPA (Universidade Federal do Pará) e me formo no final deste ano. Estou estudando para fazer tcc o assunto relacionado á BPM, e como sou aluno de engenharia civil, gostaria de fazer o tcc relacionando o uso do BPM na construção civil. Achei muito interessante o seu artigo, e se o senhor tivesse algum material de apoio para eu estudar a respeito, ficaria muito grato. Obrigado!

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Nuvem de etiquetas

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 541 outros seguidores

%d bloggers like this: